No primeiro trimestre de gravidez soro materno-associado da proteína-A plasmática e pré-eclâmpsia.



Para examinar a relação entre o baixo soro materno gravidez associada à proteína plasmática-A (PAPP-A) e índice de pulsatilidade da artéria uterina (UTA-PI), às 11 0-13 6 semanas com o desenvolvimento subseqüente de pré-eclâmpsia (PE).
Uta-PI e soro PAPP-A foram medidos em mulheres atendidas para cuidados de rotina em 11 0-13 6 semanas de gestação. Na população, 156 (1,9%) mulheres desenvolveram PE, incluindo 32 (0,4%) no qual a entrega foi antes de 34 semanas (PE precoce) e 124 (1,5%) com a entrega de 34 semanas ou mais (PE tardia); 7895 ( 98,1%) as mulheres não tinham PE. A análise de regressão foi utilizada para analisar que tipo de fatores entre características maternas, acesse PAPP-A múltiplos da mediana (MoM) e log MoM Uta-PI contribuíram para a predição da PE.
A mediana PAPP-A MoM foi 1,002 (intervalo interquartil (IQR), 0,685-1,411) no grupo não afetado, 0,555 (IQR, 0,463-0,922) em PE cedo e 0,911 (IQR, 0,580-1,247) em PE tarde. Soro PAPP-A foi abaixo do percentil 5 em 21,9% dos PE precoce e 6,5% dos casos atrasados ​​PE. O PAPP-A-relacionada com o risco do paciente-específico para o PE foi fortemente influenciado por características maternas. Houve associação significativa entre log Uta-PI MoM e log PAPP-A MoM (P = 0,001), ea taxa de detecção do rastreio para o PE, por variáveis ​​maternas e Uta-PI não foi melhorado pela inclusão de PAPP-A. A análise de regressão foi utilizado para estabelecer tabelas que permitem a modificação da história materno e PAPP-A-relacionada com o risco do paciente específico para o PE pela medição de Uta-PI.
Baixa PAPP-A é um marcador para o desenvolvimento subsequente de PE. O PAPP-A-relacionada com o risco do paciente específico para o PE pode ser modificado pela medição da Uta-PI.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19090499

VEJA TAMBÉM:



Texto Original



To examine the relationship between low maternal serum pregnancy-associated plasma protein-A (PAPP-A) and uterine artery pulsatility index (UtA-PI) at 11+0 to 13+6 weeks with subsequent development of pre-eclampsia (PE).
UtA-PI and serum PAPP-A were measured in women attending for routine care at 11+0 to 13+6 weeks of gestation.In the population, 156 (1.9%) women developed PE, including 32 (0.4%) in whom delivery was before 34 weeks (early PE) and 124 (1.5%) with delivery at 34 weeks or more (late PE); 7895 (98.1%) women had no PERegression analysis was used to examine which of the factors amongst maternal characteristics, log PAPP-A multiples of the median (MoM) and log UtA-PI MoM contributed to the prediction of PE.
Regression analysis was used to examine which of the factors amongst maternal characteristics, log PAPP-A multiples of the median (MoM) and log UtA-PI MoM contributed to the prediction of PE.Regression analysis was used to examine which of the factors amongst maternal characteristics, log PAPP-A multiples of the median (MoM) and log UtA-PI MoM contributed to the prediction of PE.There was a significant association between log UtA-PI MoM and log PAPP-A MoM (P=0.001), and the detection rate of screening for PE by maternal variables and UtA-PI was not improved by inclusion of PAPP-A.Regression analysis was used to establish tables that allow modification of the maternal history and PAPP-A-related patient-specific risk for PE by the measurement of UtA-PI.
Low PAPP-A is a marker for subsequent development of PE.The PAPP-A-related patient-specific risk for PE can be modified by the measurement of UtA-PI.


VEJA OUTROS:

Foto de Eduardo Boulhosa Nassar
Este site é mantido por Eduardo Boulhosa Nassar

Para que todos possam ter acesso ao bom conteúdo.