Efeito sobre a síndrome de Down desempenho na seleção de ajuste de níveis de marcadores em uma gravidez anterior.



OBJETIVOS:
Na triagem pré-natal para síndrome de Down, valores marcador sérico pode ser ajustado com valores de uma gravidez anterior para evitar o problema das mulheres que têm uma grande chance de recorrência de resultados falso-positivos. Investigamos o efeito de tal ajustamento sobre o desempenho global de triagem.
MÉTODOS:
Simulação de Monte Carlo foi utilizado para investigar o efeito deste ajuste em cinco testes de rastreio utilizados para a síndrome de Down (triplos, quádruplos, combinados, soro integrados, testes integrados).
RESULTADOS:
Ajustamento para valores de rastreio de marcadores (expressos em múltiplos da mediana (MoM)), num rastreio de gravidez anterior desempenho melhorado. A taxa de detecção de um 1% de taxa de falsos-positivos (FPR) aumentou de 54 para 59% com o teste triplo, de 63 a 68% com o teste quádruplo, a partir de 70 [rectificação] a 75% para o teste combinado, de 70 [rectificação] a 76% para o teste de soro integrada, e de 85 a 88% para o teste integrado. A FPR para uma taxa de detecção de 85% diminuiu de 10 para 7,9%, 7,1 a 4,9%, 4,9 a 3,7%, 4,7 a 2,9% e de 1,1 a 0,7%, respectivamente, para os cinco testes. Entre as mulheres que tiveram um resultado falso-positivo em uma gravidez anterior, o ajuste reduz substancialmente a taxa de falso-positivo, por exemplo, a partir de 18 [corrigido] para 7,3% com o teste combinado com um 1 em 250 de risco de corte.
CONCLUSÃO:
MoM ajuste para valores em uma gravidez anterior melhora o desempenho geral de triagem e reduz substancialmente a alta taxa de falso-positivo recorrente. Este ajuste pode ser aplicada rotineiramente em programas de rastreio através do software de rastreamento para a interpretação dos resultados de uma mulher de triagem.


Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/?term=).+%22Effect+on+Down+syndrome+screening+performance+of+adjusting+for+marker+levels+in+a+previous+pregnancy.%22

VEJA TAMBÉM:



Texto Original



OBJECTIVES:
In prenatal screening for Down syndrome, serum marker values can be adjusted using values from a previous pregnancy to avoid the problem of women having a high chance of recurrent false-positive results. We investigate the effect of such adjustment on overall screening performance.
METHODS:
Monte Carlo simulation was used to investigate the effect of this adjustment on five widely used screening tests for Down syndrome (Triple, Quadruple, Combined, serum Integrated, Integrated tests).
RESULTS:
Adjustment for screening marker values (expressed in multiples of the median, (MoM)) in a previous pregnancy improved screening performance. The detection rate for a 1% false-positive rate (FPR) increased from 54 to 59% with the Triple test, from 63 to 68% with the Quadruple test, from 70 [corrected] to 75% for the Combined test, from 70 [corrected] to 76% for the serum Integrated test, and from 85 to 88% for the Integrated test. The FPR for an 85% detection rate decreased from 10 to 7.9%, 7.1 to 4.9%, 4.9 to 3.7%, 4.7 to 2.9% and 1.1 to 0.7% respectively for the five tests. Among women who have had a false-positive result in a previous pregnancy, adjustment substantially lowers the false-positive rate, for example, from 18 [corrected] to 7.3% with the Combined test using a 1 in 250 risk cut-off.
CONCLUSION:
MoM adjustment for values in a previous pregnancy improves overall screening performance and substantially reduces the high recurrent false-positive rate. This adjustment can be routinely applied in screening programmes through the screening software used to interpret a woman's screening results.


VEJA OUTROS:

Foto de Eduardo Boulhosa Nassar
Este site é mantido por Eduardo Boulhosa Nassar

Para que todos possam ter acesso ao bom conteúdo.